Por que propor jogos de cartas para as crianças?

jogos de carta para criançass

Pode parecer apenas um passatempo ou mais uma forma de diversão, mas os jogos de cartas para as crianças podem ser uma boa estratégia para interagir com os pequenos e ainda contribuir para o desenvolvimento cognitivo deles.

Esse tipo de atividade permite estimular a concentração e o foco. Essa é uma ajuda muito bem-vinda atualmente, com tantas fontes de distração, não é mesmo? Competir com o mundo digital e evitar uma criança sedentária, não são tarefas fáceis. Descubra como contornar esse desafio de forma lúdica!

[Especial dia das crianças] Almanaque de atividades para completar e se divertirPowered by Rock Convert

Como os jogos de cartas podem apoiar o desenvolvimento infantil?

As crianças estão cada vez mais conectadas, cheias de atividades diárias, e recebem inúmeros estímulos de forma constante. Se para nós, adultos, isso já exige uma boa dose de autocontrole, imagine para os pequenos que estão apenas começando a reconhecer e entender suas próprias emoções e motivações.

Foco

Os jogos de carta para as crianças ajudam a desafiar a mente, pois exigem plena atenção ao que está acontecendo para que os participantes sejam capazes de interagir entre uma jogada e outra.

Socialização

Não é só no campo da razão que os pequenos se beneficiam. A descoberta de sentimentos, como raiva ao perder uma partida, frustração ou alegria, também faz parte do aprendizado. Essa é uma boa hora de ensinar a reconhecer esses sentimentos e aprender a lidar com eles.

Também é possível desenvolver a habilidade de “ler” e interpretar as expressões dos adversários ou parceiros. Dessa forma, a criança começa a reconhecer algumas emoções, como quando alguém está animado com uma boa mão.

Estratégia

Os jogos de carta também estimulam o pensamento estratégico, pois é preciso memorizar as cartas, fazer contas e pensar na melhor maneira de jogar para conseguir vencer a partida.

Autocontrole

Também é possível ensinar que dá para ter competitividade de maneira saudável, seguindo regras de convivência e ética. Enfim, uma simples diversão em família pode ser uma ótima oportunidade de crescimento pessoal.

Esperar a sua vez de jogar e as regras do jogo também contribuem para desenvolver a concentração, o autocontrole e a paciência, principalmente para uma criança ansiosa.

Por que os jogos de cartas melhoram o desenvolvimento motor?

Além de ser uma boa opção entre as muitas atividades criativas para educação infantil que você pode desenvolver em família, os jogos de cartas para as crianças colaboram com aspectos importantes do desenvolvimento físico, como a coordenação motora fina.

Nos primeiros anos de vida, o sistema motor ainda não está completamente formado e as atividades que estimulam a coordenação motora são muito bem-vindas, principalmente se acontecerem de forma divertida e lúdica.

Quando têm que segurar várias cartas na mão e protegê-las para que os adversários não as vejam, os pequenos estão treinando os músculos das mãos e os dedinhos. Com o tempo eles percebem que podem segurar cada vez mais cartas e manipulá-las com mais destreza. Esse é um desafio e tanto para quem ainda precisa treinar as habilidades motoras.

Quais são os melhores jogos de cartas para as crianças?

A diversão pode acontecer com um simples baralho de cartas, desses que se encontra em cada esquina, com jogos específicos como o UNO. Ou ainda, por que não estimular os pequenos a produzirem suas próprias cartas para um jogo da memória? Confira algumas brincadeiras!

Mau-Mau

É possível jogar com quatro ou mais participantes e o objetivo é se livrar de todas as cartas. Se forem muitos jogadores, o ideal é usar dois baralhos. São distribuídas sete cartas para cada um, e depois de virar uma carta para iniciar a partida, o que sobrar fica no centro da mesa.

Quem começa deve descartar uma carta com o mesmo naipe ou número da carta que foi virada. Na sequência, cada jogador precisa colocar uma carta de acordo com o descarte de quem jogou antes.

Quem não tem uma carta para acompanhar a mesa precisa comprar do monte até que tenha uma para poder descartar. Se as cartas do monte acabarem, a pilha do descarte se tornará o novo monte de compra. Não se esqueça de embaralhar bem antes de virar, e deixe apenas a última para seguir o jogo.

O participante que ficar com apenas uma carta na mão precisa falar Mau-Mau rapidamente, porque se alguém perceber ele terá que comprar duas cartas como penalidade.

Bom Dia, Meu Senhor

Essa atividade é recomendada para crianças a partir de 5 anos e ajuda a desenvolver a atenção e a coordenação motora. Podem participar três ou mais jogadores com dois baralhos completos.

Antes de começar o jogo, vocês devem criar um “código” para cada uma das figuras. Alguém deve ir virando as cartas. Quando aparecer o rei, por exemplo, deve dizer “bom dia, meu senhor”; ou quando for dama, “bom dia, minha senhora”. Para as outras cartas, é preciso dizer o número antes dos adversários.

Aquele que responder errado leva o monte de cartas já viradas. Quem ficar com menos cartas ao final do jogo é o vencedor.

UNO

É um jogo clássico que tem um baralho próprio, mas é bem comum de encontrar. A brincadeira permite de dois a 10 participantes. As regras são relativamente simples e o mais comum é o jogo individual, mas também é possível jogar em duplas. O objetivo do jogo é descartar todas as suas cartas: quem zerar primeiro vence o jogo.

Borboleta

Jogam quatro participantes, e a idade ideal é a partir de 6 anos. Com um baralho comum, sem os coringas e as figuras, distribua três cartas para cada pessoa, que ficam abertas na frente do jogador. Faça o mesmo com sete cartas que ficarão no centro da mesa.

As cartas que sobraram ficarão em um monte para repor as cartas da mesa. O jogador da vez deve somar o valor total das suas cartas e pegar do centro o número de cartas que corresponda exatamente a esse valor. Se a sua mão tem os números 2, 5 e 9, por exemplo, a somatória é 16, aí você deverá escolher no centro as cartas que somem esse valor.

Dessa forma, são formados conjuntos. Quando não for mais possível fazer os conjuntos com as cartas da mesa, o participante deverá comprar as cartas do monte para repor as que foram usadas do centro da mesa e passar a vez ao próximo. O jogo acaba quando não for mais possível fazer os conjunto e acabarem as cartas de reposição. Quem tiver mais grupos de cartas será o vencedor.

Todas as atividades que permitem a interação familiar são importantes para o desenvolvimento dos pequenos. Os jogos de cartas para as crianças são estimulantes não só para elas, mas para os adultos também.

Você sabe que nós adoramos produzir conteúdo de qualidade para você, certo? Então, para não perder a oportunidade, confira também como estimular a imaginação!

As informações contidas neste material se fundamentam em estudos psicológicos da criança e servem de base para ajudar com o seu desenvolvimento e educação. Os resultados de tais métodos podem variar de acordo com cada criança, pois dependerão de aspectos individuais e sociais.

Notícias relacionadas

EnglishPortuguêsEspañol